ENDOMETRIOSE, O QUE É?

 

Quem está tentando engravidar sempre busca informações dos possíveis motivos de o positivo tão esperado ainda não ter chegado e eu não era/sou diferente.

O Google coitado, já está até enjoado de tantas coisas que pesquiso a respeito.

Mas você que está lendo, mesmo que nem passe por sua cabeça ser mãe, leia até o final desse post (tá grandinho, mas vale) ele pode te ajudar…

Eu já tinha ouvido falar a respeito da endometriose e sabia vagamente do que se tratava e bem mais ou menos a respeito de sus sintomas.

Mas eu não tinha endometriose, EU NÃO!

Quando meu médico me disse que a probabilidade de possuir a doença era de 98%, me preocupei, mas nem tanto, porque conhecia várias portadoras que já eram mães e comigo não seria diferente (olha que pensamento positivo Brasil).

Então fui procurar a respeito da endometriose e descobri que:

Trata-se de uma doença INCURÁVEL, apenas com tratamentos para aliviar a dor e amenizar outros sintomas (o pensamento positivo ali de cima, já não tava mais lá aquelas coisas…).

Endometriose é uma doença caracterizada pela presença do endométrio (tecido que reveste o interior do útero) fora da cavidade uterina, bexiga, intestino, ovários, trompas. Todos os meses o corpo feminino se prepara para uma gestação, deixando o endométrio com uma camada espessa para que o óvulo fecundado ali se implante e de início a uma gravidez.

Em um ciclo de uma mulher normal, não havendo fecundação e implantação, essa camada do endométrio de descola ocorrendo a menstruação e tudo é eliminado.

Com as mulheres portadoras da endometriose, um pouco (no meu caso MUITO) desse sangue (tecido endometrial) migra no sentido oposto e cai nos ovários ou na cavidade abdominal, causando a lesão endometriótica. As causas desse comportamento ainda são desconhecidas, mas sabe-se que há um risco maior de desenvolver endometriose se a mãe ou irmã da paciente sofrem com a doença, (não é meu caso, minha mãe não teve/tem problema algum para ter filhos, mas pode ser o seu).

É importante prestar atenção aos sintomas:

Os principais sintomas da endometriose são dor e infertilidade. Aproximadamente 20% das mulheres têm apenas dor, 60% têm dor e infertilidade, e 20% apenas infertilidade.

Existem mulheres que sofrem dores incapacitantes (EU! Só no primeiro dia) e outras que não sentem nenhum tipo de desconforto. Entre os sintomas mais comuns estão:

  • Cólicas menstruais intensas e dor durante a menstruação;
  • Dor pré-menstrual;
  • Dor durante as relações sexuais;
  • Dor difusa ou crônica na região pélvica;
  • Fadiga crônica e exaustão;
  • Sangramento menstrual intenso ou irregular;
  • Alterações intestinais ou urinárias durante a menstruação;
  • Dificuldade para engravidar e infertilidade.

A dor da endometriose pode se manifestar como uma cólica menstrual intensa, ou dor pélvica/abdominal na relação sexual, ou dor “no intestino” na época das menstruações, ou, ainda, uma mistura desses sintomas.

Fontes: Dr. Sergio dos Passos Ramos CRM17.178 – SP

Lima, Geraldo Rodrigues de; Girão, Manoel J.B.C.; Baracat, Edmund Chada. Endometriose. In: Ginecologia de Consultório. 2003.1ª Edição. P.165-173. Editora de Projetos Médicos. São Paulo-SP.

No meu caso, os sintomas não eram recorrentes, acredito que por isso que nunca passou na minha cabeça que poderia ser portadora.

As cólicas menstruais, quando ocorriam, eram sim intensas, tinha muito vômito, tonturas e muita fraqueza, diarreia, dor no corpo inteiro principalmente nas costas e pernas.

O que eu ouvia falar sempre, era que quem tinha endometriose deveria ter dor em TODOS os dias da menstruação (informação totalmente equivocada) e por não ter dor todos os dias da menstruação, eu acreditava não ter endometriose.

Se a doença for detectada logo no início, o tratamento poderá ser instituído precocemente, aumentando a efetividade de alívio dos sintomas. Para isso, a mulher deverá relatar ao médico as situações atípicas e quaisquer outros problemas que possam ser sintoma da endometriose.

Com minhas várias pesquisas a respeito, depois da descoberta da doença, comecei a procurar meios naturais de amenizar minhas cólicas e o imenso desconforto mensal. Encontrei então um estudo feito a respeito da eficácia do Resveratrol para doenças inflamatórias como a endometriose, por exemplo.

Este composto encontrado na natureza é ótimo para várias outras coisas sendo que me ative ao meu caso em particular, mas esse será um assunto para um único Post… Aguardem!!!

O objetivo aqui é auxiliar as mulheres com endometriose ou suspeita da doença além de conversar com seus médicos, na coleta e organização de informações relacionadas ao ciclo menstrual, como dor, impactos nas rotinas diárias e padrão de sangramento. Dessa forma, a conversa com o especialista fica mais fácil.

Consulte seu médico, caso tenha qualquer desses sintomas ou reações…

Quer saber mais? Se identifica com algum ponto desse post? Comenta aqui em baixo…

A história continua…

15 respostas para “ENDOMETRIOSE, O QUE É?”

  1. Eu tenho endometriose, porém, não tenho muitos sintomas, descobri a doença através da videolaparoscopia… Pois de outra forma não conseguimos os diagnóstico.

    1. OI Juliana,

      É verdade, a forma mais segura de diagnosticar a endo é por meio da intervenção cirúrgica, comigo foi a mesma coisa… Obrigada por compartilhar com a gente, continue acompanhando o Blog..

      Beijos..

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *