VAI LÁ MACHÃO!

Olha, de cara faço minha terceira confissão: nessa vida, todo marido precisa acompanhar sua esposa pelo menos em um ultrassom ginecológico! É sério!

Primeiro que ele vai ficar de cara com o médico e isso é um sentimento comum dos portadores de testoterona que acham ser o dono da situação. Segundo, pode (e no meu caso fez) causar uma compreensão do quanto as mulheres sofrem físico, mental e emocionalmente neste processo de gravidez.

Desde o início do namoro sempre fomos muito parceiros e acompanhá-la num exame ou consulta médica é algo que não me incomodava, apesar de que os rotineiros sempre me pareceram de menor importância, então “quando dava” eu ia e depois perguntava o que tinha acontecido.

E num belo dia ela me chamou para, pela primeira vez, acompanhá-la à sala do ultrassom intravaginal (transvaginal).

Sério mesmo, só por isso as mulheres merecem um prêmio, uma massagem, uma caixa de bombons extra, sei lá, algo que as recompense de verdade (Talita escrevendo, VOU COBRAR ISSO HEIM!!!). Se não fosse um exame necessário, eu classificaria como um crime!

Naquele momento comecei a entender que as coisas não eram tão tranquilas como eu imaginava e que a Talita estava se expondo a situações que não eram esperadas por ela também. Além disso, entendi que minha participação neste processo deveria ser ativa pois ela estava se esforçando e eu precisava fazer a minha parte.

Claro que pra um homem normal (e respeito aqueles que são diferentes por sua alta capacidade sensorial), dar a largada é fácil mas continuar com aquele sentimento de disposição nem sempre é tão simples assim e com o passar do tempo esqueci do impacto que o primeiro ultrassom ginecológico me causou.

Quer saber mais? Se identifica com algum ponto desse post? Comenta aqui em baixo…

8 respostas para “VAI LÁ MACHÃO!”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *