BOLA PRA FRENTE

Pois é, vamos aos possíveis destinos. Eu sempre amei praia, quando penso em viajar a primeira opção que vem em minha mente é: PRAIA!

Amo a sensação, o clima, areia no pé, o barulho das ondas do mar, a brisa, o sol… ah… amo o sol!!!

Quando casamos, essa era uma discussão que tínhamos, o Hugo no começo não era muito fã da tal da praia, mas porque na família dele, não havia o costume de ir a praia, na verdade nem de viajar ele conta que não tinham costume.

Mas, coisa boa a gente aprende rápido e praia é coisa boa né amores… rapidinho ele aprendeu a gostar também, e desde então, essa é nossa primeira opção.

Em 2016 fomos a Cancun no México e amamos aquele lugar. Bem próximo a Cancun existe uma ilha chamada COZUMEL, linda, paradisíaca e esse foi o local escolhido para passarmos uns dias de tranquilidade e olha!!! Ótima escolha viu!!!

Nesse meio tempo, chegou a hora de tomar a segunda injeção de Zoladex, fui à clínica e o médico olhou pra mim perguntou meu nome, se eu estava tomando uma vitamina específica, respondi tudo conforma a última vez que havia ido lá, inclusive ele ficou surpreso quando disse que minha menstruação havia descido normalmente, (detalhe, já me tratava com ele há mais de três anos, ele sequer sabia meu nome e nem lembrava que dias antes havia lhe informado a respeito da menstruação). Fiquei furiosa. Saí da clínica com muita raiva, mas fazer o que, era o que tinha para o momento!

Dias depois, chegou a nossa viagem. No entanto, uma dor muito estranha apareceu no meu joelho direito. Não tinha batido, nem forçado na academia (porque eu não estava frequentando uma, só por isso mesmo! Hahaha).

Era uma dor tão grande, que mal conseguia andar, sentar, ou seja, não conseguia fazer nada. Fui a um ortopedista que fez um raio X, que não apontou nada, me passou uns medicamentos pra dor e assim, fui viajar.

Eu estava muito revoltada com meu médico e em conversa com uma amiga que passava pela mesma situação, ela me indicou um médico de São Paulo. Decidimos que quando retornássemos da viagem, iríamos pra lá fazer uma consulta aproveitando nossos últimos dias de férias.

Chegamos em uma terça, e na quarta fomos à Presidente Prudente para nossa consulta. Nesse dia, meu joelho doía parado, uma dor que nunca havia sentido. O Hugo teve que praticamente me carregar pra conseguir chegar até o consultório. A gente simplesmente não entendia o que estava acontecendo.

Quer saber mais? Se identifica com algum ponto desse post? Comenta aqui em baixo…

A história continua…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *