BURACO NA ALMA

Assunto sério e delicado de hoje. Perder um bebê!

Eu não posso falar sobre isso com propriedade, porque só tive um único positivo em anos de tentante, que é da minha princesa Victoria que cresce a cada dia!

Quando descobri que estava grávida, decidi juntamente com meu marido que somente contaria a todos após as 12 primeiras semanas, que é quando o risco de aborto espontâneo diminui drasticamente e assim fizemos, contamos apenas para nossos pais e irmãos!

O medo no início da gestação de perder o bebê é muito grande, você não tem barriga aparecendo, não sente nada mexendo (claro, é muito cedo) e pra você ter noção, ficava feliz quando dia ou outro, vomitava do nada!

Tenho algumas amigas que já passaram por essa triste experiência, a de perder o bebê. Eu não consigo saber o que é a dor de ter uma gestação interrompida, mas hoje, posso apenas imaginar o que seria de mim, se a Vic não tivesse mais comigo. Deve ser uma tristeza sem fim!

Eu sei que o aborto abrange a qualquer tipo de gravidez, seja ela espontânea ou fruto de um tratamento médico. Entretanto, casais com dificuldade de engravidar tem 15% a mais de chances de passar por esse momento tão triste.

Mesmo tendo engravidado naturalmente, esses 15% me assombravam.

Se você que está lendo esse texto, já passou por isso, com toda certeza teria muito mais propriedade pra falar qualquer coisa a respeito.

A minha ideia aqui, é mostrar pelo menos um pouquinho que a questão do aborto é muito mais delicada do que podemos imaginar. Muitas mães, senão todas elas, que passaram por isso, carregam um buraco nos sentimentos pelo resto da vida!

Não sou psicóloga, não pretendo com esse Post aconselhar, ou falar o que se deve ou não deve fazer. O que pretendo é de alguma forma dizer que: mãezinhas que passam por isso… estamos juntas, não desanimem, apeguem-se a esse Deus que é muito maior que tudo isso que passamos nessa terra e Ele irá recompensar toda dor e sofrimento que temos aqui.

Por isso, da mesma forma que devemos evitar dar bons conselhos aos casais tentantes, a frase “é só engravidar de novo, que esquece esse que perdeu” é terrivelmente dolorosa para a mãe que perdeu seu bebê. Um filho, é um filho, não importa se ele já nasceu, ou se ainda nem fez com que a mãe sentisse um chutinho dele! A dor será imensa igualmente!

Vamos ser mais cuidadosos, na maioria das vezes, é melhor ficar quieto e apenas dar carinho e colo aos casais que perderam seus bebês, do que falar somente por falar e machucar ainda mais.

Quer saber mais? Se identifica com algum ponto desse post? Comenta aqui em baixo… A história continua…