BURACO NA ALMA

Assunto sério e delicado de hoje. Perder um bebê!

Eu não posso falar sobre isso com propriedade, porque só tive um único positivo em anos de tentante, que é da minha princesa Victoria que cresce a cada dia!

Quando descobri que estava grávida, decidi juntamente com meu marido que somente contaria a todos após as 12 primeiras semanas, que é quando o risco de aborto espontâneo diminui drasticamente e assim fizemos, contamos apenas para nossos pais e irmãos!

O medo no início da gestação de perder o bebê é muito grande, você não tem barriga aparecendo, não sente nada mexendo (claro, é muito cedo) e pra você ter noção, ficava feliz quando dia ou outro, vomitava do nada!

Tenho algumas amigas que já passaram por essa triste experiência, a de perder o bebê. Eu não consigo saber o que é a dor de ter uma gestação interrompida, mas hoje, posso apenas imaginar o que seria de mim, se a Vic não tivesse mais comigo. Deve ser uma tristeza sem fim!

Eu sei que o aborto abrange a qualquer tipo de gravidez, seja ela espontânea ou fruto de um tratamento médico. Entretanto, casais com dificuldade de engravidar tem 15% a mais de chances de passar por esse momento tão triste.

Mesmo tendo engravidado naturalmente, esses 15% me assombravam.

Se você que está lendo esse texto, já passou por isso, com toda certeza teria muito mais propriedade pra falar qualquer coisa a respeito.

A minha ideia aqui, é mostrar pelo menos um pouquinho que a questão do aborto é muito mais delicada do que podemos imaginar. Muitas mães, senão todas elas, que passaram por isso, carregam um buraco nos sentimentos pelo resto da vida!

Não sou psicóloga, não pretendo com esse Post aconselhar, ou falar o que se deve ou não deve fazer. O que pretendo é de alguma forma dizer que: mãezinhas que passam por isso… estamos juntas, não desanimem, apeguem-se a esse Deus que é muito maior que tudo isso que passamos nessa terra e Ele irá recompensar toda dor e sofrimento que temos aqui.

Por isso, da mesma forma que devemos evitar dar bons conselhos aos casais tentantes, a frase “é só engravidar de novo, que esquece esse que perdeu” é terrivelmente dolorosa para a mãe que perdeu seu bebê. Um filho, é um filho, não importa se ele já nasceu, ou se ainda nem fez com que a mãe sentisse um chutinho dele! A dor será imensa igualmente!

Vamos ser mais cuidadosos, na maioria das vezes, é melhor ficar quieto e apenas dar carinho e colo aos casais que perderam seus bebês, do que falar somente por falar e machucar ainda mais.

Quer saber mais? Se identifica com algum ponto desse post? Comenta aqui em baixo… A história continua…

COMO LIDAR COM A INFERTILIDADE

Como vocês já sabem, fui tentante por quase 7 anos até conseguir meu primeiro positivo (sei que sou repetitiva, mas foram mais de 40 negativos – que eu contei)!

Eu queria muito que todas as pessoas soubessem a montanha russa de sentimentos que é a vida de uma tentante!

A cada mês que a menstruação vem, a cada amiga que engravida e você não (pra mim, essa sempre foi a pior parte, você estar muito feliz pela amiga ter recebido o milagre dela e pensar: mas por que eu ainda não?)… são muitas situações envolvidas no processo.

A infertilidade pode atingir qualquer pessoa, de qualquer idade. Não podemos julgar, não temos o direito de fazer brincadeiras. Se caso você souber de algum casal que passa pelo problema da infertilidade, NUNCA diga a ela para relaxar e deixar que as coisas aconteçam naturalmente, ou que vai acontecer quando pararem de tentar. Isso é péssimo, vai por mim, por maior que sejam as suas boas intenções!

Falar tudo isso, dá a entender que a culpa é nossa, é do casal tentante de não engravidar, ou porque não relaxam, não param de tentar, não dão um tempo, porque estão insistindo demais!!!

A melhor coisa a dizer seria: sinto muito por você estar passando por essa situação, ou apenas não falar nada.

Tentantes não precisam de conselhos, precisam de acolhimento, de empatia, de carinho!

Muitos casai sofrem uma pressão enorme da sociedade, da família, dos amigos e isso em nada contribui para o tratamento.

Hoje, depois que comecei a escrever esse Blog, venho recebendo muitas mensagens de mulheres que sofrem com a infertilidade e das mais diversas formas.

Minha função não é dar conselhos do que elas têm que fazer ou deixar de fazer… falo um pouco da minha experiência, os passos que dei a cada vez e o mais importante, incentivo a nunca desistirem, porque a caminhada não é fácil, é um fardo muito pesado a ser carregado, mas a palavra desistir não deve existir no vocabulário de uma tentante!

A recompensa vem, é só crer e confiar naquEle que tudo fez e criou.

Quer saber mais? Se identifica com algum ponto desse post? Comenta aqui em baixo…

A história continua…

BLOG, FASE 2

A partir de agora, esse Blog passa a ter uma pegada um pouco diferente, com temas relacionados à vida de gestante.

Quem diria que a Talitinha aqui passaria a escrever como uma grávida, deixando para traz a forma sofrida de tentante?

Mas você, tentante que acompanha a cada novo Post, o que essa louca aventureira na arte de escrever publica a cada semana, não se sinta desamparada. O espaço ainda é dedicado a você e ao turbilhão de sentimentos que envolve essa luta incansável pelo sonho de gestar.

O que muda agora, é que tudo que estou experimentando a cada dia, será retratado com mais frequência, com o intuito de te dar força para nunca desistir desse sonho.

O programa fantástico fez uma série de reportagens referentes à INFERTILIDADE. Indico muito assistir a todos os episódios, o choro é inevitável, com histórias lindas, de lutas e vitórias.

A ideia, é fortalecer você mulher, marido, que há anos busca a maternidade/paternidade, com altos e baixos, muito gasto de dinheiro, sofrimento psicológico intenso, cobrança implícita da família e amigos, com uma vida cheia de perguntas que não tem respostas.

Não desista do sonho, mas cada um conhece seus limites. Se está muito difícil, de um tempo, pare, descanse, foque em outras coisas e depois, volte com tudo. Era assim que eu fazia e isso me ajudava muito.

Se está muito difícil, procure ajuda profissional, não enfrente tudo sozinha, pois a caminhada pode ser mais leve se compartilhada com aqueles que tem condições de ajudar…

Eu nunca desisti, nunca passou pela minha cabeça desistir do sonho de ser mãe, mesmo que para isso, eu precisasse atravessar o oceano para conseguir.

Esse deve ser o pensamento. Cabeça erguida, fazer o que está ao nosso alcance, confiar em Deus, que o mais, Ele vai fazer.

Algumas coisas foram acontecendo na minha vida, até eu descobrir que estava grávida. Uma delas e pra mim a mais significativa e importante, aconteceu em um final de semana que participávamos de um congresso sobre trabalho voluntário, um outro sonho que temos e que vai ficar para um próximo post.

Quer saber mais? Se identifica com algum ponto desse post? Comenta aqui em baixo…

A história continua…

QUARTA 27 DE JUNHO DE 2018

Esse dia, jamais vou esquecer… meu marido saiu cedo de casa para um compromisso, e eu acordei logo depois de ele ter saído.

Eu levantei de um jeito diferente, com uma vontade imensa de fazer mais um teste de gravidez. Na viagem que fiz em abril, comprei vários testes no valor de 1 dólar… então, caso desse negativo de novo, seria pouco dinheiro perdido, já que o teste “bom” eu estava guardando para quando fizesse a FIV novamente.

Em todos esses anos de tentante, a gente vai aprendendo que o NÃO já temos, e que basta a cada uma de nós, buscar e lutar pelo SIM.

Nesta situação específica, eu já tinha 2 nãos, um de farmácia e outro de sangue, então ah… seja o que Deus quiser, eu pensei… e mal sabia eu, que Ele já queria!!!

Então, muito tranquila (SQN – sempre fico nervosa antes dos testes de gravidez), fiz xixi no teste e o deixei de lado, afinal eu já “sabia” o resultado…

Mas quando dei uma espiadinha de canto de olho nele… meu Deus, eu não pude acreditar que um segundo palitinho estava aparecendo!!! Não pode ser verdade… eu nunca tinha visto isso acontecer…

Todos esses pensamentos se passaram na minha cabeça em uma fração de segundos… tentei cortar o xixi para aproveitar fazer também o teste bom… mas quem disse que eu o encontrava… quando eu achei… não tinha mais xixi… gente que desespero… queria que vocês através da leitura, conseguissem sentir o desespero que senti naquele momento!!!

Deu positivo, será? Mas e esse teste é confiável? Xixi, não tem mais!!! ÁGUA, vou tomar água.. muita água… tomei uma garrafa de 500 ml de uma vez!!!

Xixi, preciso produzir mais! O teste, POSITIVO! SENHOR É ISSO MESMO? Não sabia se gritava, se chorava, se ria!!!

Xixi, preciso fazer xixi, mais água, Talita, toma mais água.. e lá se foi ela tomar mais água!!!

Me arrepio de lembrar desse momento, rio de mim mesma devido à minha reação, mas na hora não consegui reagir de maneira diferente, afinal foram mais de 40 negativos ao longo desses anos… e esse era meu primeiro positivo!!!

Mandei uma foto do teste pro Dr Vinícius… que me respondeu segundos depois.. e foi bem assim:

P

O

S

I

T

I

V

O

Hahahahahaha… foi muito legal!!! Eu não sabia nem o que falar direito… ele disse para colher sangue porque ele não conhecia o teste!!! Xixi!!! Lembrei que teria que fazer xixi de novo no teste bom!!! E finalmente depois de 1 lito de água a vontade veio, e o POSITIVO no teste bom veio junto!!!

Ali sentada na privada, imaginava a forma como contaria essa linda novidade pro Hugo. Imaginei balões subindo, num parque em um lindo dia de sol, escrito Hugo, você será Papai, imaginei  as belas surpresas que se sucederiam…

Mas não foi nada assim!!!

Quer saber mais? Se identifica com algum ponto desse post? Comenta aqui em baixo…

A história continua..

COMO TUDO ACONTECEU 2

O tão esperado dia 07/06/2018 chegou e sem menstruação. Mas eu nunca fui 100% regulada, então nem pensei em nada.

No entanto, após 5 dias resolvi fazer um teste de farmácia, tinha vários em casa e não custava nada usar um pra ver se por ventura um segundo palitinho não apareceria!!!

Nada, NEGATIVO!!!

Por incrível que pareça, não me abalei… a vida continuou, mas com 8 dias de atraso, resolvi fazer um beta… tudo isso sem contar absolutamente nada pro Hugo… e o resultado???

Nada, NEGATIVO!!!

Uns dias depois, tive um corrimento marrom por 2 dias, parecia uma borra de café, mas clarinho… (NIDAÇÃO sua tonta, como não percebi isso??? Já li tanto, escrevi a respeito e não percebi quando chegou a minha vez)!

Então minha gente! Vida que segue… e seguiu messssmo!!! Estava fazendo tratamento dentário, me preparando para finalmente tirar meus sizos… avaliação feita, Raio X, tomografia, sim, fiz tudo isso!!!

Ahhh e como se não bastasse, estava fazendo um tratamento para melasmas (manchas) no rosto com ácidos e tudo que tenho direito!!!

Uma amiga muito querida, quando contei isso a ela me disse que “de criança e grávida que não sabe que está, Deus cuida”… olha, acho que dei trabalho heim!!!

No dia 24/06, ajudamos na organização de um jantar dos namorados aqui na minha cidade, no qual carreguei um monte de peso, subi e desci escada várias vezes pregando e organizando a decoração, enfim, tudo, exatamente tuuuuuudo que uma grávida nas suas primeiras semanas Não pode fazer EU FIZ!!!

E então, a menstruação não vinha… e aquilo começou a me intrigar… mas eu já tinha dois exames negativos… era só mais um atraso… não passa de um atraso, era o que eu pensava!

Nesse meio tempo, eu estressada e super sensível (sintomas de gravidez que a toda sabichona aqui não percebeu) mandei whats pro coitado do Dr. Vinícius, reclamando que minha menstruação não vinha… que eu queria começar o preparo já, blá blá blá blá!!!!

Lá vai o bom e querido médico, com toda paciência do mundo, responder as minhas dúvidas e me orientar no que fazer… Pediu pra que eu tomasse um remedinho por 5 dias que a menstruação viria… e eu tinha o tal remédio em casa… se daria problema com a gestação, não sei.. só sei que peguei o tal remédio pra tomar umas 5 vezes e desisti…

Pensei, já é tudo tão artificial, que venha essa menstruação na hora que tiver que vir mesmo!!! E não tomei!!!

Na terça dia 26/06/2018 muito incomodada com a menstruação que não vinha, com o rosto cheio de espinhas e muita dor nos seios, tendo a certeza que a menstruação viria, pois esses eram meus sintomas de TPM, fui ao banheiro, e notei um corrimento branquinho, gelatinoso, e nem sinal da maldita escarlate (olha que nome chique pra menstruação.. hahahaha).

Quer saber mais? Se identifica com algum ponto desse post? Comenta aqui em baixo…

A história continua…

COMO TUDO ACONTECEU

Bom, já que ontem eu só soltei o vídeo da mais linda e melhor notícia que já dei na minha vida, nada melhor que hoje, eu contar com mais detalhes como tudo aconteceu, não é mesmo?

Como contei no penúltimo Post, eu tomei o antibiótico que o médico me prescreveu, mas devo dizer que não era apenas isto que eu estava fazendo…

Desde o mês de dezembro do ano passado, eu e meu marido decidimos que daríamos um tempo nas drogas farmacológicas, e faríamos apenas tratamentos naturais.

Então, estava tomando óleo de prímula, óleo semente de gergelim, uma vitamina chama Henger, uxi amarelo e unha de gato, e várias outras vitaminas em capsulas.

Várias coisas, meu marido e eu tomávamos juntos, outras eram específicas pra ele e outra específicas pra mim… tomamos bem direitinho, eram muitas capsulas pela manhã e nos demais horários que tínhamos que tomar, mas começamos a nos sentir muito bem!

INFORMAÇÃO IMPORTANTE: tudo que tomamos foi devidamente orientado por um especialista em tratamento natural, não fizemos nada por conta, NÃO FAÇA ISSO! Porque o seu problema não é o mesmo que o meu e o efeito pode ser desastroso, mesmo sendo com produto natural.

Então, acredito que ao começar a tomar o antibiótico, como meu organismo estava livre de fármacos há quase 6 meses, seu efeito foi potencializado, ocasionando um ambiente propício para a fecundação.

Minha menstruação veio no dia 07/05/2018 e eu estava esperando que viria novamente lá pelo dia 07/06/2018.

Eu e meu marido estávamos pronto para fazer mais uma transferência (FIV), já estava com todos os medicamentos comprados, só aguardando a menstruação vir para dar início ao preparo do endométrio.

E então inicia o mês de junho. Minha vida estava normal, sem sintomas, sem nada… eu queria é que a menstruação viesse logo, esse era meu sentimento e pensamento.

Algo que acho legal contar, é que no mês de fevereiro, tive um atraso de 13 dias… achei que estivesse grávida, fiz vários testes, todos negativos e foi muito frustrante pra mim.

Aí, em uma oração, chorando muito, clamei a Deus que se essa não fosse a vontade dEle pra nossa vida, a de nos tornarmos pais, que Ele me tirasse essa imensa vontade de ser mãe, para que de alguma forma eu não sofresse tanto como vinha sofrendo todos esses anos.

Logo que terminei a oração, não sei como, mas senti uma paz tão grande, algo que não sei explicar muito bem e foi tão bom… a partir dali algo mudou dentro de mim, tive uma certeza muito forte que este ano de 2018 EU SERIA MÃE!

Na viagem que fizemos em abril, comecei meu enxoval, sim, comprei o máximo que pude de roupinhas e objetos neutros para meu futuro bebê! Até decoração para meu chá de revelação eu comprei!!!

O Hugo, preocupado, veio falar comigo com o medo de me frustrar por estar fazendo enxoval sem estar grávida, planejando um chá de revelação, mas eu tinha tanta certeza que aquilo estava me deixando muito feliz e acho que eu estava transparecendo essa felicidade o acalmando, até me ajudou a escolher algumas coisas…

Eu tinha certeza que engravidaria, eu só não sabia que Deus seria tão bom comigo e que seria tão rápido!!!!

O dia 07 de junho chegou… e a menstruação? Não, não veio não…

Quer saber mais? Se identifica com algum ponto desse post? Comenta aqui em baixo…

A história continua…

CORRIDA CONTRA O TEMPO

Depois do último negativo de outubro/2017, mais uma vez nos planejamos de viajar… e dessa vez seria com amigos, estávamos ansiosos para o mês de abril chegar logo.

Por causa dessa viagem, tive que correr contra o tempo para adiantar todas as liberações e exames necessários para que a histeroscopia fosse feita antes da viagem.

E consegui!!!!

A viagem estava marcada para dia 18/04/2018 e o procedimento aconteceu no dia 14/04/2018. Por ser bem simples e não depender de repouso, sai no mesmo dia do hospital, super bem, sem dor, sem nenhum sintoma.

Viajamos, passeamos muito… foi muito divertido e retornamos no final do mês de abril. Tinha consulta marcada no dia 09 de maio para saber o resultada da histero.

No consultório, o doutor nos mostrou o vídeo de como eu sou por dentro!!! Hahahaha gente, me assustei…. existem dentro de mim milhões de micro pólipos… muitos mesmo… que demostram a endometrite (sim, mais uma coisa pra conta), bem como a presença muito forte das células NK (Natural Killer) que são células de defesa que em algumas mulheres a presença é muito maior, causando abortamentos, ou até mesmo a morte dos espermatozoides (meu caso)!

Gente!!! Que coisa!!! Tudo comigo!!!

Mas aí, o médico vem e me diz que em estudos recentes, muito recentes mesmo, ou seja, sem comprovação científica nenhuma, se a mulher com um quadro igual ao meu tomasse um determinado tipo de antibiótico por 10 dias, a partir do vigésimo dia após o início do tratamento a curva de fertilidade poderia aumentar em até 40%!

What???? Sério??? É claro que quero tomar esse negócio!!! MAS ATENÇÃO! O médico me falou, tome muito cuidado, pois trata-se de um antibiótico muito forte, os efeitos colaterais dele não são bons, e pode te gerar alguns probleminhas devido a sua macro biota estar totalmente desprotegida!!!

Confesso que na hora deu um medinho, mas depois de ouvir que ele achava que tinha encontrado nosso problema… todo o medo passou!!!

Saímos da clínica direto para a farmácia pra comprar o tal antibiótico. Comecei a tomar naquele dia mesmo!

Tomei uma série de cuidados, muitos mesmo, afinal eu fiquei praticamente sem imunidade nesses 10 dias…

Os 10 dias passaram… a vida continuou… o mês de junho se aproximava e muitas atividades estavam por vir…

Decidimos que no mês de junho faríamos mais uma transferência, agora dos meus óvulos que estavam congelados, os fertilizaríamos e a transferência seria a fresco.

Então, comprei os medicamentos que o Dr. Vinícius me passou, e estava aguardando a menstruação vir para dar início ao preparo do endométrio.

Quer saber mais? Se identifica com algum ponto desse post? Comenta aqui em baixo…

A história continua…

E AGORA? COMO CONTINUAR?

No dia em que consegui minha consulta com o Obstetra, chorei ao telefone implorando pra secretária um horário. Chorei depois de desligar o telefone quando consegui esse horário.

Chorei, não sei se de alegria por ter conseguido o horário, ou de desespero por estar totalmente perdida e tentando buscar, achar respostas para tanto sofrimento e frustração!

O ano de 2017, é um ano que eu e meu esposo queremos apagar de nossas memórias… sem dúvida alguma foi o ano mais difícil e sofrido que já tivemos em toda nossa história juntos…

E acho que após essa ligação, todo esse peso veio em cima de mim… e sem saber por que, chorei, e chorei muito!

O dia da consulta chegou, estava muito ansiosa, afinal tinha ouvido falar muito bem desse médico e das maravilhas que ele fazia como cirurgião. Tinha renovado minhas forças, na esperança de que ele, cirurgicamente, adormeceria minha endometriose de uma vez.

Já no consultório, depois de algum tempo esperando, chegou nossa vez. Já era bem tarde e o médico nos atendeu com um sorriso no rosto, viu todos os exames que levei, pediu mais alguns, e também pediu que na próxima consulta levasse os vídeos das minhas cirurgias anteriores.

Já com os exames em mãos, retornamos para a segunda consulta, ele olhou todos, explicou tudinho nos mínimos detalhes, viu minhas cirurgias e disse que com base em tudo que ele havia visto, não indicaria nova cirurgia, tendo em vista que aparentemente minha endometriose estava controlada e não era esse o motivo de não ter conseguido engravidar até então, mesmo após 3 Fertilizações in vitro.

Então, me lembro disso como se fosse hoje, olhando para todos os nossos exames em cima da mesa dele, ele se debruçou e coçando a cabeça ele disse: “olha, o caso de vocês não está tão complexo, mas sabe, tem uma vírgula que nenhum médico viu e nem eu estou vendo, mas se vocês confiarem em mim, eu vou achar”!

Cara isso me deixou tão feliz… inclusive ele foi o primeiro médico que me disse que eu teria chances de conseguir uma gravidez espontânea, coisa que ainda não tínhamos ouvido de nenhum outro.

Ele ainda disse que como ele encontraria nosso problema, a decisão seria nossa de partir para outra FIV, ou aguardar uma gravidez natural, mas que a função dele era proporcionar uma gravidez espontânea.

Aí, ele me perguntou, “Você já fez uma histeroscopia?”… eu nem sabia o que era, você também não? OK, vou fazer um post específico sobre isso, pode deixar!

Respondi então que não, ele surpreso questionou, como que em 6 anos de tratamento, nenhum médico havia pedido um exame desse que pode revelar tantas coisas sobre o aparelho reprodutor da mulher???!!!

Sai do consultório com todos os pedidos em mãos… queria fazer esse exame o quanto antes… e se através dele, pudéssemos descobrir a falha? O motivo pelo qual não engravidava?

Quer saber mais? Se identifica com algum ponto desse post? Comenta aqui em baixo…

A história continua…

POSITIVO? NEGATIVO?

Ficamos ali, os dois, sem respirar, olhando aquele teste, os segundos se tornaram horas…

Esse tempinho que tem que esperar pro teste começar a acontecer, como é terrível, parece que nunca acaba, como pode?!

Nesse momento, muitas coisas passaram na minha cabeça… e se der positivo? Como vai ser? Vamos contar pra todo mundo? Só pra família? Vamos esperar? Será que vai ser um só? Ou dois? Gente! Muita coisa!!!

O teste começou a trabalhar, o primeiro risquinho apareceu… mas… mais uma vez, nada do segundo!

De novo meu Deus!!! Mais um negativo pra conta.

Mais um luto, mais um sofrimento, mais um negativo, as respostas não vinham e acho que nunca virão.

Mandei o resultado pro doutor… como queria ter mandado um positivo, mas a única coisa que tinha nas mãos era aquele ridículo NEGATIVO!

O dia foi longo e triste. Nada fazia sentido pra gente. Tentei me manter firme, deixar os dias acontecerem, mas não é fácil!

Estávamos com uma viagem programada para o mês de novembro, minha mãe iria junto, quando achamos que dessa vez seria positivo, já tínhamos planos de como contaríamos pra ela lá em Natal/RN… os sonhos eram lindos, mas a realidade foi dura com a gente!

Passamos dias maravilhosos, o que me ajudou bastante a superar mais esse NÃO de Deus pra nós.

Quando retornamos, liguei pro Dr. e disse que não aguentaria mais uma transferência e que queria apagar 2017 da minha memória!

Ainda quero, posso dizer, com toda certeza do mundo, que 2017 foi o pior ano das nossas vidas!

Queria dar um tempo, investigar como estava minha endometriose, quem sabe fazer uma outra cirurgia, não sei… acho que queria virar a página, e em 2018 tentar outra vez.

Ele respeitou minha decisão.

Dias depois a psicóloga da Semear me ligou, conversamos bastante, foi muito bom… ela se colocou a disposição para quando eu precisasse conversar e desabafar. Fiquei feliz com essa atenção, me senti cuidada sabe…

Foi aí que comecei a procurar um bom médico que fosse especialista em endometriose. Tinha certeza que o que estava me atrapalhando era a endometriose.

A busca foi grande, Londrina, São Paulo e Maringá. Fiquei em Maringá mesmo, porque o acesso pra nós é muito melhor.

Consegui uma consulta em dezembro. Esperei ansiosamente por essa consulta!!!

Quer saber mais? Se identifica com algum ponto desse post? Comenta aqui em baixo…

A história continua…

MAIS UMA TEC? TEMOS!

Depois de tanto duvidar, conversar, orar… decidimos que sim, tentaríamos outra TEC no mês de outubro de 2017.

A menstruação descendo, já daria início aos preparativos do endométrio com o gel e a medicação que já havia tomado da outra vez.

Agora, eu estava com um sentimento diferente. Não sei explicar muito bem, mas eu estava diferente. Confiante sim que um dia meu positivo chegaria, mas ao mesmo tempo, não queria colocar todas as minhas expectativas nesse procedimento, acredito que mais uma vez, essa seria uma maneira de me proteger da dor de mais um potencial negativo.

E assim permaneci, fomos no dia combinado para fazer a US pra verificar o endométrio, e uma vez estando com a espessura apropriada, em 4 ou 5 dias faria a transferência novamente!

E estava, lindinho, crescidinho, do jeito que precisava para receber os embriões congelados.

Mais uma vez, fomos até Ribeirão e até aí tudo igual, chegamos cedo, tomei banho, sem perfume, sem maquiagem, sem hidratante, sem nada!

Cheguei já com a bexiga cheia, dessa vez não esqueci de tomar bastante água. O procedimento foi o mesmo da primeira vez, não leu? Então aqui está sua chance!

Transferido. Mais uma vez estava com minhas bolinhas dentro de mim.

Como disse ali em cima, eu estava diferente dessa vez. Não quis ficar no hotel, ficamos no mesmo da última vez, então fomos ao shopping, a pé… não queria ficar sozinha, meus pensamentos estavam a mil.

Passeamos, comemos, rimos, foi gostoso, eu quase esqueci o motivo pelo qual estava ali. Mas não tem como.

Voltamos pro hotel, descansei um pouco e logo chegou a hora de voltar pra casa. Tudo igual, chegamos em Maringá, depois fomos pra Mamborê, não trabalhei nesse dia e a vida seguiu!

Dessa vez a beta espera não foi tão sofrida, não fiquei tão ansiosa, os dias passaram mais rápido e o teste desta vez cairia em uma quarta-feira!

Na terça, eu estava na academia, e recebo um áudio no whatsapp. Era o Dr. Vinícius, mais ansioso que eu!!! Hahahaha pedindo que eu fizesse o teste porque ele não aguentava mais esperar!!!! Hahahaha achei muito engraçado isso!

Mesmo que eu estava tão desanimada, devido ao último negativo, eu alimentava uma esperança, pois alguns dias depois da TEC, eu tive um corrimento marrom claro, por dois dias e eu acreditava ser a NIDAÇÂO, não sabe o que é? Vou escrever um Post específico sobre isso, aguarde!!!

Lá no fundo, dessa vez eu acha que tinha dado certo! Então quando o doutor me pediu para adiantar o dia do teste, achei bom…

Voltei pra casa, chamei meu marido, mostrei o áudio pra ele e decidimos fazer o teste naquela hora mesmo!

Quer saber mais? Se identifica com algum ponto desse post? Comenta aqui em baixo…

A história continua…