BURACO NA ALMA

Assunto sério e delicado de hoje. Perder um bebê!

Eu não posso falar sobre isso com propriedade, porque só tive um único positivo em anos de tentante, que é da minha princesa Victoria que cresce a cada dia!

Quando descobri que estava grávida, decidi juntamente com meu marido que somente contaria a todos após as 12 primeiras semanas, que é quando o risco de aborto espontâneo diminui drasticamente e assim fizemos, contamos apenas para nossos pais e irmãos!

O medo no início da gestação de perder o bebê é muito grande, você não tem barriga aparecendo, não sente nada mexendo (claro, é muito cedo) e pra você ter noção, ficava feliz quando dia ou outro, vomitava do nada!

Tenho algumas amigas que já passaram por essa triste experiência, a de perder o bebê. Eu não consigo saber o que é a dor de ter uma gestação interrompida, mas hoje, posso apenas imaginar o que seria de mim, se a Vic não tivesse mais comigo. Deve ser uma tristeza sem fim!

Eu sei que o aborto abrange a qualquer tipo de gravidez, seja ela espontânea ou fruto de um tratamento médico. Entretanto, casais com dificuldade de engravidar tem 15% a mais de chances de passar por esse momento tão triste.

Mesmo tendo engravidado naturalmente, esses 15% me assombravam.

Se você que está lendo esse texto, já passou por isso, com toda certeza teria muito mais propriedade pra falar qualquer coisa a respeito.

A minha ideia aqui, é mostrar pelo menos um pouquinho que a questão do aborto é muito mais delicada do que podemos imaginar. Muitas mães, senão todas elas, que passaram por isso, carregam um buraco nos sentimentos pelo resto da vida!

Não sou psicóloga, não pretendo com esse Post aconselhar, ou falar o que se deve ou não deve fazer. O que pretendo é de alguma forma dizer que: mãezinhas que passam por isso… estamos juntas, não desanimem, apeguem-se a esse Deus que é muito maior que tudo isso que passamos nessa terra e Ele irá recompensar toda dor e sofrimento que temos aqui.

Por isso, da mesma forma que devemos evitar dar bons conselhos aos casais tentantes, a frase “é só engravidar de novo, que esquece esse que perdeu” é terrivelmente dolorosa para a mãe que perdeu seu bebê. Um filho, é um filho, não importa se ele já nasceu, ou se ainda nem fez com que a mãe sentisse um chutinho dele! A dor será imensa igualmente!

Vamos ser mais cuidadosos, na maioria das vezes, é melhor ficar quieto e apenas dar carinho e colo aos casais que perderam seus bebês, do que falar somente por falar e machucar ainda mais.

Quer saber mais? Se identifica com algum ponto desse post? Comenta aqui em baixo… A história continua…

COMO LIDAR COM A INFERTILIDADE

Como vocês já sabem, fui tentante por quase 7 anos até conseguir meu primeiro positivo (sei que sou repetitiva, mas foram mais de 40 negativos – que eu contei)!

Eu queria muito que todas as pessoas soubessem a montanha russa de sentimentos que é a vida de uma tentante!

A cada mês que a menstruação vem, a cada amiga que engravida e você não (pra mim, essa sempre foi a pior parte, você estar muito feliz pela amiga ter recebido o milagre dela e pensar: mas por que eu ainda não?)… são muitas situações envolvidas no processo.

A infertilidade pode atingir qualquer pessoa, de qualquer idade. Não podemos julgar, não temos o direito de fazer brincadeiras. Se caso você souber de algum casal que passa pelo problema da infertilidade, NUNCA diga a ela para relaxar e deixar que as coisas aconteçam naturalmente, ou que vai acontecer quando pararem de tentar. Isso é péssimo, vai por mim, por maior que sejam as suas boas intenções!

Falar tudo isso, dá a entender que a culpa é nossa, é do casal tentante de não engravidar, ou porque não relaxam, não param de tentar, não dão um tempo, porque estão insistindo demais!!!

A melhor coisa a dizer seria: sinto muito por você estar passando por essa situação, ou apenas não falar nada.

Tentantes não precisam de conselhos, precisam de acolhimento, de empatia, de carinho!

Muitos casai sofrem uma pressão enorme da sociedade, da família, dos amigos e isso em nada contribui para o tratamento.

Hoje, depois que comecei a escrever esse Blog, venho recebendo muitas mensagens de mulheres que sofrem com a infertilidade e das mais diversas formas.

Minha função não é dar conselhos do que elas têm que fazer ou deixar de fazer… falo um pouco da minha experiência, os passos que dei a cada vez e o mais importante, incentivo a nunca desistirem, porque a caminhada não é fácil, é um fardo muito pesado a ser carregado, mas a palavra desistir não deve existir no vocabulário de uma tentante!

A recompensa vem, é só crer e confiar naquEle que tudo fez e criou.

Quer saber mais? Se identifica com algum ponto desse post? Comenta aqui em baixo…

A história continua…

NUNCA MAIS SOZINHA!

A sensação de nunca mais estar sozinha, é maravilhosa…

Aonde vou, sei que a Victoria está comigo. Falar com ela, contar histórias, cantar pra ela, ouvir música com ela… é demais!!!

Estou com 30 semanas, e nessa fase ela já escuta sons externos, já sente o sabor de alguns alimentos, e se mexe bastante.

Certa noite, acordei de tanto que ela se mexeu… então fiz um carinho em minha barriga, conversei com ela…. e acredito que adormeceu, porque ficou bem calma e quietinha.

Saber que hoje carrego um ser que é metade minha e metade do amor da minha vida, um bebe tão sonhado e planejado, me faz pensar em como Deus nos ama a ponto de nos conceder o privilégio de gerar uma nova vida, o milagre da vida.

Muitas mulheres que tem tido contato com esse Blog estão vindo falar comigo e está sendo uma alegria imensa poder compartilhar com elas um pouco das experiências que vivi e de certa forma, ajuda-las a enfrentar os momentos que estão vivendo.

Não é fácil ser tentante. Não é fácil explicar o porquê de até agora não ter filhos (mas já estão casados há tanto tempo, e os filhos, não querem ter não?), a pergunta que mais ouvia…

Falo um pouco sobre isso nesse Post Aqui!

Mas nunca desisti do meu sonho, nunca desisti de tentar… persistir e resistir a todas as provações, era o que eu repetia a todo instante! E você deve fazer o mesmo!

Os nãos que a vida te dá hoje, serão os sins que Deus enviará no futuro!

Confie, ore, não desanime… o melhor de Deus está reservado para você e sua família!

Hoje me pego pensando nos anos em que lutei para engravidar… e parece irônico, mas as alegrias que tenho hoje, me fazem esquecer o sofrimento que tive anos atrás.

Então, foque no futuro reservado pra você, tenho certeza que será compensador.

Quer saber mais? Se identifica com algum ponto desse post? Comenta aqui em baixo…

A história continua…

E A GRAVIDEZ, COMO ESTÁ?

Voltando para os dias atuais e dando uma pausa nas coisas que escrevi no ano passado, quero muito contar pra vocês como está sendo minha gravidez!

Como sonhei, e muito, para viver este momento muitas das situações  que venho passando, já imaginava como seriam, mas somente imaginava… porque a ansiedade e a sensação quando elas aconteciam nossa!!! São muito diferentes de como eu pensava…

A primeira delas, foi ouvir o coração… já escrevi aqui no Blog como foi… foi algo mágico… como descobri a gravidez já um pouco adiantada, na minha primeira ultra já tivemos a alegria de ouvir o coraçãozinho do bebê.

Aquela escola de samba… batidas fortes e rápidas, uma pequena bolinha branca no meio de uma maior preta!!! Saco gestacional e embrião… nunca imaginei que conseguiria compreender imagens de ultrassonografia, porque sempre via de amigas e não entendia nada… mas agora, identifico tudinho, eu juro!!!

Depois dessa primeira experiência, vem a segunda US… sério, acho que todas as grávidas (até as de segunda viagem) ficam apreensivas nesses primeiros meses, porque não há barriga, não há movimentos, não há nada! NADA! Hahahaha e a dúvida se você está mesmo grávida ou não, se o coração estará batendo ainda… gente… como é difícil!!!

No meu caso acho que foi ainda pior, porque não tive enjoos… não fiquei passando mal… então, nem sintomas praticamente tinha… pra vocês terem noção, ficava feliz o dia que tomava café e vomitava logo após… esse era pra mim o sinal de que possivelmente estava tudo bem!!! Acreditem!!!

Os dias foram passando, tudo certo na segunda ultra… transluscência… tudo OK… Nossa maior alegria é que vemos nossa bebê duas vezes por mês, no consultório do obstetra e nas US que fazemos todos os meses… é uma delícia vê-la….

No mês de setembro, fizemos nossa baby moon… fomos viajar e no meio da viagem completei 20 semanas e senti os primeiros movimentos… outra sensação que sonhava sentir e foi uma delícia.

Cada dia é uma descoberta, cada dia uma aflição diferente, cada dia uma nova preocupação. Hoje coisas que eu e meu marido planejamos, envolvem mais um serzinho que por enquanto está no lugar mais seguro do mundo. Quando ela sair as preocupações irão se multiplicar e nunca mais irão acabar.

A cada dia que passa, a barriga cresce mais, o peso aumenta e o cansaço também. Nunca pensei que ficaria tão ofegante logo após me abaixar para pegar alguma coisa no chão!!! Hahaha é engraçado!

As roupas ficam apertadas, aquela calça e aquele vestido que tanto amava, vão ter que ficar pra depois!

Quer saber mais? Se identifica com algum ponto desse post? Comenta aqui em baixo…

A história continua…

DEUS É DEUS

Escrito dia 18/09/2017 (Acredito que nesse dia tive mais um resultado de FIV negativo)

Tem uma música que gosto muito de ouvir, chama-se Deus é Deus e diz mais ou menos assim:

“Se Deus fizer, Ele é Deus,

Se não fizer, Ele é Deus,

Se a porta abrir, Ele é Deus,

Mas se ela se fechar, continua sendo Deus”…

Na minha luta para ser mãe, por todas as fases e procedimentos que já passei, pelos vários negativos que já recebi… quando tive contato com essa canção pela primeira vez, ela me trouxe uma paz e uma esperança tão grandes que tenho me apegado a ela em todos o tempo e principalmente nos momentos difíceis. Ouça AQUI!

Deus é Deus em todas as circunstâncias, sejam elas boas ou más, fazendo o que peço ou não, pois somente Ele sabe o que é melhor e o momento perfeito para que tudo aconteça. Deus sabe o fim desde o princípio e é meu dever clamar pela sabedoria de entender, ou pelo menos aceitar os nãos que recebo na vida!

Provavelmente, você estará lendo esse texto bastante tempo depois de eu ter escrito, pode ser que já estarei com meu sonho nos braços, ainda na barriga, ou quem sabe, eu não tenha recebido essa graça de Deus por ainda não ser o tempo certo, a minha hora, não sei, mas minha oração é para que de alguma forma, essas palavras o auxiliem a não desistir dos seus sonhos.

Hoje, não desisto dos meus e sim, os reafirmo perante Deus, entregando minha vida nas mãos dEle, daquEle que tudo sabe, que tudo vê!

A experiência de um exame de gravidez negativo, para quem sofre tanto para ter um positivo… não é nada fácil.

Chorei muito junto com meu marido a cada um que peguei em mãos, o dia fica sem cor, triste, ninguém sabe o que está acontecendo dentro de você, dentro da sua casa, da sua vida.

Mas eu sei que há um Deus que me ama e que quer o meu melhor e por isso tenho que seguir em frente e fazer a minha parte, me cuidando, mental, física e espiritualmente.

Eu sei que a minha vez vai chegar e quando acontecer, quero estar preparada para educar meus filhos no caminho do Senhor.

Se você hoje está na mesma situação que eu, ore a Deus e entregue sua vida e aflições a Ele, ouça essa música e feche seus olhos, ore…

Aproveite este momento para ler Isaias 54: 1 a 3.

Creio que Deus tem grandes coisas preparadas para mim e para você! Tenha fé nas palavras dEle, afinal DEUS É DEUS!

AMÉM!”

Quer saber mais? Se identifica com algum ponto desse post? Comenta aqui em baixo…

A história continua…

UM CORAÇÃO QUE SERVE

Olá pessoal… retornando das férias e pronta para dar continuidade às postagens de textos escritos no ano passado quando fiz minhas duas últimas FIV’s.

Escrito dia 11/09/2017

“Jesus quando veio ao mundo disse que veio para servir e não para ser servido. Às vezes fico pensando o quanto tenho me preparado para servir a Deus e a meus semelhantes, o quanto tenho abnegado minhas vontades para colocar em primeiro lugar a vontade do meu marido, meu semelhante e principalmente a vontade de Deus!

Todo esse processo que tenho passado, todos esses anos em busca da maternidade, tem me ensinado que a vontade de Deus é plena e justa. Os momentos de tristeza, seja porque mais uma vez a FIV não tenha dado certo, ou mais um problema foi detectado, o que tento fazer é buscar forças em Deus e submeter a minha vontade e o meu sonho à dEle, pois só Deus sabe o que é melhor e o momento certo para tudo que há debaixo do céu (Eclesiastes 3:1).

Quando penso em um coração que serve, tenho que me colocar à disposição para auxiliar a todos que precisarem de mim, com uma palavra, um abraço, uma oração, ou seja, com o que for necessário.

Jesus assim agiu quando esteve aqui nesta terra e assim eu tento me tornar a cada manhã quando em oração busco orientação divina para o dia que se inicia.

O processo de quem possui algum tipo de infertilidade para realizar o sonho da maternidade, não é nada fácil, além de toda medicação que é utilizada e que por si só já bagunça tudo… há ainda a pressão psicológica que colocamos em nós mesmos.

Frustrações a cada menstruação, o sentimento de incapacidade e impotência diante de algo que foge do nosso controle e que era para ser tão simples! ENGRAVIDAR!

Entretanto, busco força e auxílio na palavra de Deus, quando vejo quantos milagres foram feitos, mulheres estéreis que deram à luz a filhos, me faz sentir o quanto Deus me ama e me dá ânimo para continuar esta jornada.

Hoje oro para que você que lê este post possa sentir que há um Deus que te ama tanto, que entregou seu único filho para morrer na cruz e te salvar da morte eterna, só basta a você crer nesse amor e confiar que Ele sabe o que é melhor para mim e para você.

Ore comigo agora.

Deus, obrigada por ter mandado seu filho para me salvar, obrigada por me amar tanto, me ajude a cultivar um coração puro e servir aos que me rodeiam. Faça a Tua vontade em minha vida, cumpra o teu querer em mim.

Se for da tua vontade, que eu me torne mãe, me capacite para isso, quero ser um instrumento em tuas mãos, mas se esta não for a Tua vontade, se este ainda não for o momento me ajude a confiar em Ti, me ajude a entender que tudo tem o momento certo.

Perdoe meus pecados e aumente a minha fé em Ti.

AMÉM!”

Quer saber mais? Se identifica com algum ponto desse post? Comenta aqui em baixo…

A história continua…

CORAÇÃO CONTRITO

Escrito em 08/09/2017

“Hoje faz 5 dias que estou com os embriões e para meu desespero, não estou sentindo nada!

Sei que a vez anterior que fiz a FIV, em março, foi muito conturbada e por isso foi tão diferente, mas não sei o que pensar.

Tento disfarçar que está tudo bem, mas hoje não consegui e chorei, chorei por não conseguir saber o que está acontecendo comigo, chorei pela incerteza, pelo medo de mais uma vez me frustrar!

Entreguei nas mãos de Deus essa FIV e sei que Ele fará o melhor para mim, mas confesso que a teoria é bem mais fácil que a prática.

Estou tentando manter meus pensamentos positivos, mas não é fácil, as dúvidas batem à porta e me consomem!

Agora de manhã, ao fazer meu culto matinal, li que Deus está pronto a nos perdoar e transformar nosso coração, limpá-lo de toda a iniquidade e de toda a maldade e eu clamei a Deus que me ajude a abandonar os meus pensamentos maus, para me tornar digna de receber as Suas bênçãos.

Eu sei que a melhor coisa que tenho a fazer nesse momento é de verdade, descansar na promessa de que Cristo está preparando algo maravilhoso para mim e se não der certo mais uma vez, é porque Deus está me moldando para me tornar uma pessoa melhor, uma mãe melhor e assim estar mais preparada para educar e amar meus filhos.

Molda meu coração Pai, limpa minha alma para poder estar pura diante de Ti.

Me ajuda Senhor a andar em teus caminhos e fazer a Tua vontade. Dá-me forças para enfrentar o que for preciso! Cuida de mim, cuida do Hugo e das sementinhas que carrego, que se for da Tua vontade, elas ficarão comigo por um bom tempo!

AMÉM!”

Copiando o que escrevi nesse dia, pude perceber o quanto eu estava sofrendo, o quão angustiada estava. Quantas vezes passei por isso, quantas vezes senti essa dor silenciosa.

E fico imaginando, quantas mulheres também não passam por isso, caladas, muitas vezes nem com os próprios maridos conseguem conversar.

Saibam que esse canal está aberto a vocês, podem me chamar no Facebook, (página Talita Negri – Blog Esperar o Que?) ou no Instagram (@talitanegri), que estou sempre pronta a ouvi-las e ajudar no que for possível!

Quer saber mais? Se identifica com algum ponto desse post? Comenta aqui em baixo…

A história continua…

GRÁVIDA! SIM ESTOU!

Mesmo que eu tenha lutado e sonhado com esse momento por mais de 6 anos, quando de fato chegou a minha vez, senti um desespero… não imaginei que sentiria isso, até porque, planejei tanto esse momento, que achei que em meu coração sentiria apenas alegria!!!

No dia que peguei o positivo, foi sim só alegria… mas uns dias depois, veio o desespero, será que vou ser capaz, será que vai dar tudo certo, será que a gestação vai pra frente!!!

Gente, são tantas as dúvidas, que eu não fazia ideia que as teria, e tive, uma a uma. A cada dia é uma coisa diferente.

Ansiedade para a primeira ultra, como você não tem barriga, eu não estava tendo enjoos, não tem como saber se o bebe está bem, se vai ouvir coração, se não vai, são muitos os medos!

No dia 05/07/2018 foi o dia da minha primeira ultra, 7 semanas e 1 dia… coração batendo forte… uma bolinha apenas, e como pode uma bolinha de 1 cm ter um coraçãozinho que bate tão forte assim?

09/07/2018, segunda ultra no consultório do meu obstetra… MEDO!!! E se não tivesse mais coração batendo???

Tinha… tinha sim… nosso pacotinho de amor estava lá, sem forma, mas já muito amado!!!

Próxima ansiedade… o sexo!!! Eu fiquei muito, mas muito ansiosa… jamais aguentaria esperar até a 17ª semana para saber por meio da ultra o sexo do bebê, então, é claro que corri para fazer o exame da sexagem fetal! Não sabe o que é? Vou rapidamente te explicar então!

Esse exame pode ser feito após a 8ª semana de gestação, que é quando o DNA do bebê já pode ser detectado no sangue da mãe.

Então, este é um exame nada invasivo, que não afeta o bebê e a porcentagem de acerto dele é de 98,5%.

Foram colhidas algumas ampolas de sangue, e uma amostra e colocada no microscópio e analisada a tipagem do DNA. Essa rotina, no laboratório que fiz, é seguida por 10 vezes. Se caso for encontrado um Y em meio aos X, parabéns, você será mãe de um belo MENINO, caso não encontra nenhum Y, somente X, parabéns, você será mãe de uma bela MENINA…

Mas atenção, esse exame não é 100% garantido, então pode ocorrer erro, por mais incomum que seja, isso pode acontecer!!!

Sendo assim, com 9 semanas, parti fazer meu exame de sangue da sexagem fetal, com o chá revelação marcado para o dia 19/08.

Se você pensa em fazer esse exame pensando no chá revelação, se programe bem, porque o resultado demora pra sair, o meu demorou uns 15 dias se não me engano!

O chá, gente como sonhei com esse dia… planejei cada detalhe durante anos… decoração, tudo… e foi exatamente como eu sonhei, rodeada de pessoas que amo e que também me amam e sonharam junto com a gente toda essa emoção que estamos vivendo hoje!

Quer saber mais? Se identifica com algum ponto desse post? Comenta aqui em baixo…

A história continua…

AMNÉSIA PARTE 2

Até aquele momento a minha adrenalina estava nas alturas e achava que estava lidando bem com a situação. Quem me conhece sabe que sangue não é minha praia, mas o senso de urgência nos faz ultrapassar essas barreiras e fazer o que deve ser feito, que naquele momento era cuidar da Talita. Seu choque estava passando e mais dores começaram a surgir.

Até então, acho que ela não tinha se ligado direito do corte no queixo, quando viu o sangue na gaze, perguntou o que era e eu caí na besteira de falar que ela havia cortado o queixo. Aí, me infernizou que queria ver…

Porém, quando ela se olhou no espelho e viu a ferida aberta em seu queixo, uma emoção, um estado de pânico subitamente a fez chorar muito e começar e tremer.

Eu a abracei e tentei acalmá-la, foi então que aos prantos ela me perguntou: “Amor, o que aconteceu comigo? Porque estou machucada? Onde eu caí?”

Não sei se você já passou por algo parecido com alguém, não sei se você conseguirá sentir metade do que senti ou sinto agora, mas não tenho como descrever a sensação.

Respondi todas as perguntas e ela continuou chorando. Um minuto depois ela perguntou: “Amor, o que aconteceu comigo? Porque estou machucada? Onde isso aconteceu? Porque não me lembro? Será que vou lembrar das coisas?”.

Foi então que fiquei realmente preocupado. Mesmo respondendo com calma às suas perguntas, ela continuou perguntando as mesmas coisas, seguidamente, e após ouvir minhas respostas, com lágrimas, ela me questionou por mais 3 vezes!!! Ela não lembrava da queda, da ferida, e ficou ainda mais desesperada quando percebeu isso.

Fomos ao médico. Limpamos os machucados e fechamos a ferida maior. Foram 5 pontos no queixo e duas horas depois ela lembrou da queda, do meu atendimento e da ida ao posto, mas nunca mais lembrou dos difíceis momentos no banheiro, do choro e das perguntas.

No início de todo o tratamento, quando as coisas começam a dar errado e a gravidez demora, muitas pessoas diziam: “Esqueça de querer engravidar, relaxa, que então dá certo”. Até mesmo eu por algumas vezes falei isso pra ela, tanto com tom de aconselhamento como por desabafo e até mesmo com indignação.

Hoje me arrependo… Hoje a sexta confissão é: nunca diga pra ela esquecer.

Não se esquece uma ferida aberta que gera dor mesmo sem se perceber. Não se esquece um amor, ainda que se queira negá-lo.

A cada ciclo finalizado ou iniciado. A cada consulta médica. A cada relato de quem “conseguiu” (esta palavra é a mais utilizada quando alguém engravida, porém, não concordo mais que seu sentido é adequado para o caso, pois engravidar não é algo que se “consegue”, mas é história pra outro dia), a cada relação, a cada texto postado aqui… lá no fundo… nós mexemos na ferida que está aberta.

Nunca diga para uma mulher que quer ser mãe esquecer desse sonho. Este é o tipo de amnésia que nunca dará certo, muito menos com palavras.

Quer saber mais? Se identifica com algum ponto desse post? Comenta aqui em baixo…

A história continua…

E AGORA, O QUE EU FAÇO?

Senti a necessidade de aprofundar o assunto da endometriose na visão do homem e espero que isso dê certo!

Na verdade, deixando um pouquinho de lado a questão da fertilidade e do diagnóstico médico, a quinta confissão é prática: saber que uma vez por mês minha esposa passaria de 2 a 3 dias com cólicas de intensidades desconhecidas era simplesmente aterrorizante, e talvez assim também seja pra outros maridos.

Como ela fez uso dos anticoncepcionais por muitos anos, eram raras as vezes que as cólicas menstruais realmente me incomodavam, sempre dava pra levar numa boa e a vida seguia.

Mas quando ela parou de utilizá-los e as primeiras vieram me vi totalmente despreparado para aqueles momentos: a dor começa fraca, logo vêm as primeira reclamações e aí o bicho pega, ela rolava na cama de um lado para o outro, se esticava ou virava um “tatu-bola, as vezes parecia até que tinha parado de respirar.

E o marido que não é médico e nem enfermeiro faz o quê nessas horas?

Falar que daqui a pouco passa é assinar o atestado de óbito. Dar mais 50 gotas de Ponstan ou qualquer outro remédio para cólicas menstruais, não vai ajudar imediatamente também. Morrer não vai né (eu acho). Só ficar olhando também é zueira e a sensação de impotência é terrível.

Sem falar nas quedas de pressão, vômitos, desmaios, e tudo mais que a dor causa… o desespero que eu ficava, pois me sentia de mão atadas! Lembro de uma vez que precisei chamar um enfermeiro pra aplicar Buscopan, glicose e adrenalina na veia, pra Talita conseguir se recuperar.

Resumo da ópera: quando a mulher prevê a crise, já nas primeiras dores, como precaução precisará aderir às drogas, tudo que tiver às mãos, USE, para evitar que as dores se agravem… vale também, providenciar aquela velha e útil bolsa térmica que pode ajudar no alívio (mesmo que a gente saiba que a vontade é de jogar a bolsa na cara do marido).

Enfim, mulheres, fica a dica: nós não sabemos o que fazer, mas sabemos que tá doendo pra caramba, então, mesmo em meio à sua angústia tente compreender que a cara de pamonha é 99% desespero. Assinado: marido.

P.S.: Compartilho uma foto que representa bem minha esposa no período de cólicas.